Raça do Mês de Março: Boiadeiro Australiano


Nome: Boiadeiro Australiano (Australian Cattle Dog)



Aparência Geral

A aparência geral é a de um cão de trabalho robusto, compacto e de construção simétrica com habilidade e disposição para executar qualquer tarefa árdua; a combinação de substância, força, balanceamento e sólida constituição muscular deve ser tal que denote grande agilidade, força e resistência. Qualquer tendência à grosseria ou fragilidade é uma falta séria.

Características

Seu propósito utilitário é a ajuda no manuseio do gado, tanto em campo aberto como em áreas confinadas. Sempre alerta, extremamente inteligente, atento. Sua lealdade e espírito protetor tornam-no um guardião especialmente indicado para o criador de gado, seu rebanho e sua propriedade. Apesar de desconfiado com estranhos deve se apresentar afável durante o manuseio da pista de exposição.

Tamanho

A altura desejável na cernelha deve estar dentro das seguintes medidas:
Machos - 46cm. a 51cm. (18'a 20').
Fêmeas - 43cm. a 48,5cm. (17'a 19').

video


Historia

O boiadeiro autraliano, ou Australian cattle dog (ACD), foi criado durante o século XIX na Austrália. No início do século XIX, uma variedade de cão inglesa, chamada de smithfield, atualmente extinta, que era um cachorro próximo ao bobtail, foi levado da Inglaterra para a Austrália  para trabalhar nas fazendas. Porém estes cães ingleses não se adaptaram ao trabalho no clima árido e quente do interior da Austrália e por isto foram cruzados com os cães selvagens  australianos, os dingos. Os cães resultantes destes cruzamentos não se mostraram adequados ao trabalho com o gado pois eram agressivos com os animais e acuavam o gado assustando-o sem guiá-lo. Nesta época muitos cães continuavam sendo importados para a Austrália, especialmente vindos da Inglaterra, por fazendeiros australianos, um destes fazendeiros, Thomas Hall, havia importado um casal de collies de pêlo curto, mas eles também não haviam se adaptado bem ao clima australiano. Thomas Hall resolveu cruzar seus collies com os mestiços de dingo e smithfield existentes em sua fazenda, a partir destes cruzamentos começou a surgir um interessante cão de fazenda, capaz de trabalhar bem no clima australiano e muito inteligente. Estes cães apresentavam uma maneira própria de conduzir o gado, mordiscando seu calcanhar e por isso receberam o nome de Heeler (“heel” do inglês significa calcanhar).



Para melhorar a relação entre os heelers e os cavalos (eles tinham tendência a morder os calcanhares dos cavalos assustando-os) eles foram misturados com cães da raça dálmata (famosos por sua relação com os cavalos). Também acredita-se na participação do bull terrier, raça muito popular na época, que teria sido misturada ao heeler para aumentar sua coragem. Alguns também afirmam que houve a participação do kelpie durante a formação da raça. O boiadeiro autraliano foi reconhecido por volta de 1890.

Embora seu nome atual seja o de boiadeiro autraliano, às vezes também é chamado de “Blue heeler” ou “Red heeler” dependendo de sua cor (blue = azul e red = vermelho). Apesar de sempre apresentar cor “azul” ou “vermelha”, todos os boiadeiros nascem brancos, uma herança da raça dálmata, a cor só aparece após uma semana de vida. Seu latido é bastante peculiar e muitos donos falam que lembra o pio de uma coruja. Uma outra particularidade da raça, que muitos donos relatam, é a sua grande longevidade.

Este cão é resistente e vigoroso, capaz de trabalhar continuamente sob o sol forte sem se cansar. Os boiadeiros são muito apegados ao seu dono, fieis, bastante atentos, corajosos e desconfiados com estranhos, características que fazem dele um bom cão de guarda além de boiadeiro e companheiro. Cães desta raça são bons com crianças, companheiros incansáveis de brincadeiras. O boiadeiro australiano é um cão inteligente e obediente, habituado a trabalhar em parceria com o homem (10ª colocação no ranking de inteligência canina de Stanley Coren). A raça é atlética e com grande habilidade para o salto, se saindo bem em competições de agility e flyball.

Os boiadeiros australianos são cães rústicos, ativos e dinâmicos, que precisam de muito espaço e exercício. Devem ter a possibilidade de gastar sua enorme energia diariamente ou certamente desenvolverão problemas de comportamento. Cães desta raça não devem ser mantidos presos e nunca devem ser criados em apartamentos. Uma escovação semanal basta para a manutenção do seu pêlo. Esta é uma raça muito saudável, contudo alguns exemplares podem apresentar problemas de atrofia progressiva da retina, surdez congênita ou luxação de patela, estes são problemas genéticos que podem ser evitados com a escolha consciente do filhote e dos pais da ninhada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário